Mulheres no empreendedorismo e na tecnologia são tema do SEED Experience

Mulheres no empreendedorismo e na tecnologia são tema do SEED Experience

Das 40 startups que entraram na 4ª rodada do SEED, um dos maiores programas públicos de aceleração de startups da América Latina, apenas 8 têm CEOS mulheres. Como mudar esse cenário e propiciar que mais mulheres empreendam? Como fazer com que essas empreendedoras se interessem pelas áreas de tecnologia? Para falar sobre essas e outras questões, o SEED Experience “Elas à frente: Trajetórias e batalhas das mulheres no empreendedorismo” recebeu apenas mulheres na noite desta quinta-feira (16).

A 5ª edição do evento aconteceu em comemoração ao dia Dia Global do Empreendedorismo Feminino, lançado em dia 19 de novembro de 2014 pela ONU (Organização das Nações Unidas). De acordo com o Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas 2013, do Sebrae, 7,3 milhões de mulheres são empreendedoras no Brasil. O censo aponta que a participação feminina foi de 31,3%, em 2012, contra 29,4%, em 2002 – o que corresponde a um crescimento de 18% nos últimos dez anos.

O evento começou com a palestra “Todas as mulheres: Liderança e revolução” com Dani Marinho, consultora na ThoughtWorks Brasil, e Kelly Maia, sourcer da ThoughtWorks Global, abriu o SEED Experience. Dani e Kelly falaram sobre a importância de revolucionar a tecnologia, causando impacto no mercado local e na comunidade, para que as mulheres de fato consigam lugar no mercado de inovação.

“O machismo institucionalizado perpassa todas os lugares, principalmente empresas ligadas à tecnologia. Nós lutamos para sairmos de um lugar de invisibilidade em uma sociedade patriarcal. Por isso é importante que estejamos cientes do lugar que estamos, de onde viemos, para saber o que vamos enfrentar até conseguir chegar a cargos de tomada de decisão”, afirmou Kelly.

Por isso, a importância de falar sobre liderança para mulheres e do aprendizado que também deve vir por parte dos homens. “Também é preciso que eles sejam abertos e se coloquem no nosso lugar. Essa posição não é confortável, mas o olhar para o outro, quando existem práticas discriminatórias de gênero que excluem as mulheres do mercado do trabalho, deve ser feito pelos homens, para que consigamos mudar essa realidade”, garante Dani. E ambas afirmam: “Queremos todas as mulheres na tecnologia”.

Kelly Maia e Dani Marinho da ThoughtWorks

Em seguida, aconteceu uma conversa mediada por Ciranda Morais, fundadora da She’sTech, com quatro CEOs de startups do SEED, Amanda Busato (UPME!), Bruna Kassab (Evoé), Janayna Bhering (Safetest) e Juliana Brasil (MYPS). As cinco falaram sobre os desafios enfrentados pelas mulheres que querem empreender e de como fazer para fomentar o empreendedorismo feminino.

Segundo Ciranda, a construção de redes para fomentar a participação das mulheres na tecnologia e empreendedorismo é essencial. “É justamente isso que o She’sTech faz. A gente se une para criar uma rede forte, para ter engajamento, para capacitar mulheres, para inspirar as outras e assim construir uma comunidade de mulheres empreendedoras. Para que isso seja possível, é preciso criar oportunidades e promover inclusão profissional e social de todas”, considera a mediadora.

As empreendedoras do SEED também afirmaram o desafio de serem mulheres nesse mercado. De acordo com elas, as dificuldades já começam em casa, ao ter que conciliar as funções do cargo de chefia com as funções historicamente delegadas às mulheres. “O desafio começa quando você tem que pensar com quem deixar as crianças, o que geralmente não é uma preocupação dos homens. Colocar essas discussões em pauta com mais frequência é importante para que possamos conhecer outras que estão passando pelas mesmas experiências”, pontuou Janayna.

A falta de desenvolvedoras e programadoras também foi uma questão muito falada. “Uma das nossas dificuldades é se familiarizar com todas essas linguagens que nunca tivemos contato. A transformação também passa pela maior inclusão e entrada de mulheres nessas áreas”, afirma Amanda. E Bruna completa “Eu estou procurando há algum tempo uma desenvolvedora para a Evoé, mas é muito difícil achar”.

Por fim, o evento teve a conclusão de que “juntas somos mais fortes”. “Queremos criar um ambiente seguro, para que as mulheres levem suas dúvidas, sem medo e insegurança e possamos cada dia alcançar mais pessoas”, declara Ciranda.  “Se não temos opção, a gente deve ir lá em fazer, liderando quando for possível, para que com o tempo isso seja uma coisa natural”, finalizou Amanda.

Ciranda de Morais, fundadora da She’sTech, mediando o SEED Experience “Elas à Frente”

SEED Experience

Com intuito de inspirar empreendedores e comunidade, foi criado o SEED Experience. O evento abre as portas do SEED para sociedade, levando conteúdo e interação com o ecossistema de Minas Gerais. Um dos objetivos é impactar o público por meio de eventos descontraídos e educativos e alcançar, uma média de 1.000 pessoas no Estado, gerando mais de dez horas de conhecimento reaplicáveis.

SEED recebe visita técnica da Anpei

SEED recebe visita técnica da Anpei

Nesta segunda-feira, (30), o SEED recebeu mais de 100 profissionais, entre presidentes, diretores, gerentes e analistas, inscritos na Conferência Anpei de Inovação, realizada pela Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei) em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado de Minas Gerais (SEDECTES). Estiveram presentes empresas como VALE, Petrobras, Confederação Nacional da Indústria (CNI), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Universidades e outras organizações tecnológicas e de inovação.

O SEED MG, um dos maiores programas de aceleração de startups da América Latina, foi o primeiro local da visita técnica no ecossistema de inovação mineiro. Os quatro roteiros também incluíram outros centros de pesquisa e desenvolvimento tecnológico de Minas Gerais, como a sede do Google em Belo Horizonte, o Instituto Tecnológico Vale, a Universidade Corporativa Fiat Chrysler Automobiles Latam (ISVOR), o Centro de Inovação SENAI/FIEMG, além de instituições em Ouro Preto.

A visita antecede a 16ª Conferência Anpei de Inovação, que será realizada durante a Feira Internacional de Negócios, Inovação e Tecnologia (FINIT), entre os dias 31 outubro e 1ª de novembro, no Expominas. Na programação, estão palestras, workshops, vivências e arena de negócios que acontecerão simultaneamente em palcos e salas. O subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação da Sedectes, Leonardo Dias, ressaltou o ambiente de inovação estratégico de Minas Gerais para receber o evento. “Estamos realizando a 2ª edição da FINIT para continuar divulgando o ambiente de inovação de Minas Gerais, além dos vários programas que o Estado oferece. Somos um celeiro de Universidades, de talentos e boas ideias. E é nisso que queremos investir, em soluções inovadores, para gerarmos conexões e oportunidades de negócios entre empresas e startups”, afirma.

De acordo com Vera Crósta, coordenadora da Conferência, essa visita técnica é a ­marca registrada da associação para que os participantes conheçam o ecossistema, com oportunidades de fazer interação e networking. Com o tema “Vivendo a inovação em um mundo em transformação”, a edição deste ano irá discutir novos caminhos para a inovação em um mundo em constante e rápida transformação nas relações e nos modelos de negócio usualmente conhecidos.

Para Vera Crósta, coordenadora da Conferência, a expectativa é que o evento seja um espaço de muita interação e mão na massa. “A ideia da Conferência é trazer para os participantes uma trilha de aprendizado, com conteúdos simultâneos, para que possam conhecer, entender, vivenciar e já saírem com uma ideia para colocar em prática”, explica. De acordo com ela, essa trilha é baseada em três princípios: pessoas empoderadas e conectadas, negócios conscientes e tecnologias transformadoras. “É isso que imaginamos que estão buscando das organizações e empresas”, complementa Vera.

A visita também teve a participação dos empreendedores do SEED, que apresentaram suas startups para os participantes. Soluções na gestão de contratos (Contraktor), novos modelos de aprendizado na educação (Cuboz), sistema para gerenciamento de resíduos (NETResíduos), sistema para gestão de restaurantes e lojas (Saipos), ferramentas para as instituições financeiras (Expediente Azul), software para melhorar vendas (Rectrix) e ferramenta de segurança para mulheres (Kwema).

Conferência Anpei de Inovação

Realizada desde 2001, a Conferência Anpei tem se consolidado como fórum privilegiado para o encontro de representantes de empresas, agências do governo e instituições de C,T&I para discussão e encaminhamentos de políticas e práticas voltadas à inovação nas empresas e no país.

FINIT

Organizada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado de Minas Gerais (SEDECTES), a FINIT se destaca como um grande hub, reunindo importantes e consolidados eventos em um só local, tendo como público-alvo startups, grandes empresas, pesquisadores e profissionais das áreas de tecnologia e inovação.

Programa Minas Digital

Coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SEDECTES), em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG), o SEED faz parte do programa MINAS DIGITAL – uma série de iniciativas governamentais, parcerias e redes de networking que buscam impulsionar o desenvolvimento de negócios inovadores e fortalecer a cultura empreendedora no Estado. O objetivo é transformar Minas Gerais no maior polo de empreendedorismo e inovação da América Latina.

Modelo de gestão do Vale do Silício é tema de palestra no SEED

Modelo de gestão do Vale do Silício é tema de palestra no SEED

“Os analfabetos do século 21 não serão aqueles que não sabem ler e escrever, mas aqueles que não sabem aprender, desaprender e reaprender”. Com a citação do autor e visionário americano, Alvin Toffler, Carla Figueiredo começou sua palestra “O que que a Baía tem!” na noite da terça-feira (24), no SEED. A fundadora e CEO da Sugarpedia contou para os participantes um pouco sobre sua viagem para a Baía de São Francisco, onde fez um programa executivo na Universidade da Califórnia em Berkeley.

Com uma abordagem do real, Carla mostrou que o conhecimento e o aprendizado são essenciais para qualquer ecossistema de inovação. “O modelo de gestão das empresas do Vale do Silício é construído a partir das Universidades, que estão no centro de toda essa cultura empreendedora. Para que a gente construa o novo e promova disrupção, é preciso primeiro entender o que veio antes”, afirmou.

E é o que os números confirmam. Das 208 empresas de biotecnologia instaladas no Vale do Silício, 35% foram fundadas por cientistas e 158 estão conectadas à UC Berkeley. Porém, Carla lembra que o aprendizado não vem só do conhecimento formal, mas também de vivências próprias e através das experiências de outras pessoas. “Lá, o que todos fazem, é o modelo de gestão de startups, onde o processo é aprendido, aplicado e reaprendido constantemente. Este modelo passa pelas gerações através da vida universitária e corporativa. E é isso que fez com que a região tenha uma cultura empreendedora sólida”, explicou.

Carla também ressaltou a importância que essas empresas dão à diversidade e ao acolhimento de pessoas de fora, o que só agrega valor ao ecossistema. “O Vale do Silício entende de pessoas tanto quanto de tecnologia”, finalizou.

Clara Figueiredo fala sobre suas experiências na Baía de São Francisco

Não participou desta oportunidade? Confira as 8 regras de ouro do Vale do Silício, de acordo com Carla Figueiredo:

1. Invista no seu time

2. Invista em mercados

3. Elimine as dores

4. Trabalhe o desenvolvimento de clientes, não de produtos

5. Dedique recursos em estágios

6. Falhe rapidamente, aprenda e refaça

7. Velocidade é tudo

8. Trabalhe com agilidade e com toda a energia para expandir seu produto/serviço no mercado

Confira sempre os eventos do SEED MG no Facebook.

SEED Experience tem bate papo sobre investimentos e equity crowdfunding

SEED Experience tem bate papo sobre investimentos e equity crowdfunding

A terceira edição do SEED Experience, que aconteceu na noite desta terça-feira (10), foi um pouco diferente. Com um bate-papo no coworking do SEED MG, os participantes puderam realmente experienciar o funcionamento um dos maiores programas públicos de aceleração de startups da América Latina. ­

Depois de aprender a tirar a ideia do papel, o público desta edição veio conversar sobre os dilemas do empreendedor ao buscar investimentos. Qual o momento certo para procurar investidores? E diluir a participação em troca de ações? Devo ter um sócio investidor? Para responder essas e outras questões, o coordenador do Hub Minas Digital, Rodolfo Zhouri mediou a conversa com os empreendedores Brian Begnoche, sócio fundador da EqSeed, e Wilson Campanholi Jr, cofundador da startup Cotexo.

A EqSeed é a principal plataforma de investimento direto em startups e empresas em expansão no Brasil. Brian explicou como funciona a captação de recursos de investidores, que realiza uma operação conhecida como equity crowdfunding, reconhecida e aprovada no país pela Comissão de Valores Mobiliários através da Instrução CVM 588. De acordo com o economista americano, o critério de seleção para a EqSeed é alto. As startups passam por várias etapas e um processo grande de análise, para selecionarem as melhores oportunidades para os investidores.

De mais de mil startups analisadas em dois anos de plataforma, somente 11 foram aprovadas e receberam investimentos até agora. Três delas foram aceleradas pelo SEED MG na 3ª e 4ª rodada. A Me Passa Aí, site que reúne videoaulas que capacitam universitários a alcançar bom desempenho nas provas, captou R$250 mil no final de 2016. A Contraktor, startup de lawtech que busca agilizar a gestão de contratos, tornando-os digitais, captou R$ 450 mil em julho deste ano. E a Cotexo, marketplace de compra e venda de autopeças, realizou a última e maior captação da EqSeed. Através da plataforma, a startup captou R$ 600 mil na última terça, dia 10 de outubro.

Ter um modelo de negócios escalável, com capacidade de crescer rápido e se tornar uma empresa de grande porte de cinco a dez anos, são os principais requisitos para a seleção. De acordo com Brian, o trabalho realizado em Belo Horizonte, com o San Pedro Valley e aceleradoras como o SEED MG, torna propício o ambiente de inovação e a escolha de startups participantes do programa. “Participar do SEED faz com que a startup adquira conhecimentos para saber fazer ajustes e pivotar seu negócio quando necessário. Saber como o empreendedor lidou com todo o processo, inclusive falhas, é muito importante”, afirma.

Para desenvolver essas boas práticas, Wilson, empreendedor participante da 3ª rodada, contou para os participantes um pouco sobre sua jornada. “É preciso, primeiro, focar em algum produto que seja relevante para o mercado e depois pensar em procurar investimentos. Começamos pelo mercado automotivo, mas queremos crescer por verticais, construção, peças de avião, dentre outros”, garantiu o cofundador da Cotexo.

De acordo com Wilson, a entrada na EqSeed foi muito importante, mas é preciso que as startups se planejem a longo tempo. “Para conseguir isso, o ideal é fazer uma apresentação com projeção de faturamento e tese de crescimento para apresentar para os investidores”, indica. E Brian complementa “para escalar a startup precisa passar por várias rodadas de investimento. Fazer um planejamento de anos e rodadas, para ter uma ideia do valor que sua empresa terá daqui 6 ou 8 anos, é uma boa forma para saber qual o equity necessário para atingir esses resultados”.

Rodolfo, que trabalha no mercado há 10 anos e também é investidor, ressalta que o investimento em startups possui alto risco e que o modelo tradicional é muito diferente do praticado pela EqSeed, que tem maior segurança e é menos burocrático. Por isso, o diretor do Hub Minas Digital dá duas dicas para quem está começando: “o melhor investidor que você pode ter no início é um cliente” e “capte dinheiro quando você menos precisa, pois fará decisões mais acertadas”, conclui.

Rodolfo Zhouri, Wilson Campanholi Jr e Brian Begnoche conversam com os participantes no coworking do SEED

 

Ficou interessado no que acontece no SEED Experience? Fique ligado no nosso Facebook para saber quando será o próximo evento.

Startup Melhor Plano vence Seedstars World em Belo Horizonte

Startup Melhor Plano vence Seedstars World em Belo Horizonte

Considerada a startup mais promissora do ecossistema de Belo Horizonte pelo Seedstars World, a Melhor Plano venceu a etapa mineira da competição e agora segue para a final nacional, em São Paulo. O evento global, presente em mais de 80 países, aconteceu pela primeira vez na capital mineira e teve a participação de outras dez startups.

Os jurados Rafael Silva, da Unimed, Renata Petrovic, do Bradesco, Amanda Graciano da Biominas, Isabela Rugani da Venture Capital e Maria Noel da Seedstars assistiram aos pitches de cinco minutos de todas as startups, escolheram a Melhor Plano como a grande campeã da noite. Segundo e terceiro lugar ficaram com a Zippay e IndWise, respectivamente.

Acelerada pelo SEED MG nesta quarta rodada, a Melhor Plano é uma plataforma que compara planos de celular, banda larga, TV e telefone fixo e mostra qual operadora oferece a melhor oferta para o assinante. A solução já atraiu mais de 1,5 milhão de usuários para utilizar o serviço da empresa. Além disso, o programa conecta usuários com parceiros de venda, facilitando o processo de compra.

Para Pedro Israel, cofundador da Melhor Plano, a inscrição no evento serviu para perceber como os estrangeiros observam o nosso modelo de negócios. “A gente tem testado como a empresa é percebida do ponto de vista internacional. Esse foi o motivo de competir, e vencer foi uma alegria ainda maior”, comemora Pedro. É o segunda conquista da Melhor Plano em competições internacionais neste ano. A empresa também conquistou o segundo lugar no Startup Games, que aconteceu em setembro.

Organizadores e participantes do Seedstars Belo Horizonte

A gerente regional do Seedstars, Juliane Butty, que apresentou o evento, ressaltou o grande potencial empreendedor que Belo Horizonte possui. “Nós ficamos sabendo do San Pedro Valley e de BH, como a capital mais inovadora do Brasil. Por isso fizemos o evento na cidade, para conhecer e poder investir nas startups belo-horizontinas, mostrando para o mundo as oportunidades que existem aqui”, afirma.

Através da competição, a Seedstars tem o objetivo de impactar, promover e conectar startups de mercados emergentes com investidores. A vencedora da final nacional irá representar o Brasil na fase global, que acontece na Suíça em abril de 2018, podendo ganhar até 1 milhão de dólares em investimentos e prêmios. A organização também oferece um programa de aceleração de três meses com mentorias, parcerias e outros benefícios às startups selecionadas para o mundial.

Unimed-BH apresenta programa de inovação aberta para startups do SEED

Unimed-BH apresenta programa de inovação aberta para startups do SEED

Com o objetivo de conectar startups, tornando-as parceiras e fornecedoras, a Unimed-BH apresentou para os empreendedores do SEED o Link One, programa de inovação aberta no setor da saúde realizado em parceria com a INSEED Investimentos. Startups com soluções inovadoras que possuem relação com os eixos transformação digital e eficiência e sustentabilidade já podem se inscrever no programa, que também facilitará a captação de investimentos.

Essa primeira edição selecionará cinco startups já maduras, com produtos em fase avançada de desenvolvimento ou que já estão disponíveis no mercado. Diferente do imaginado, a seleção não é apenas para o segmento de saúde. Empresas com soluções voltadas para gestão de negócios, gestão de talentos, área jurídica e de tecnologia da informação são o foco do programa.

O supervisor de empreendedorismo na Unimed-BH, Rafael Silva, ressalta que o propósito do Link One não é ser uma aceleradora de startups, mas sim proporcionar parcerias e investimentos para aquelas que já estão participando de algum programa. “Vir ao SEED MG sempre traz expectativas de ver coisas novas, startups de diferentes áreas, além das relacionadas à saúde, que já chegam para nós de forma orgânica. Lançamos esse programa justamente para complementar quem já está no processo de aceleração, gerando oportunidades para startups maduras”, afirma.

Mesmo com a necessidade de ter um CNPJ, startups estrangeiras do SEED, que demonstrem interesse no ecossistema de Belo Horizonte, também poderão participar. O programa oferecerá mentorias, estrutura de dados e conhecimento, interação com os colaboradores, encontros com especialistas e investidores, através da interação com a INSEED, além da possibilidade de se tornar parceira e fornecedora da Unimed-BH e de outras unidades da empresa.

O Link One começa em 6 de novembro e terá duração de 12 semanas. Startups interessadas deverão se inscrever no site do programa até o dia 11 de outubro.

SEED Experience conta (quase) tudo sobre como tirar uma ideia do papel

SEED Experience conta (quase) tudo sobre como tirar uma ideia do papel

O SEED Experience mais uma vez abriu as portas de um dos maiores programas públicos de aceleração de startups da América Latina para contar alguns segredos de empreendedorismo para os mineiros. A 2ª edição do evento, que aconteceu na noite desta sexta-feira (29) no Café 104, contou (quase) tudo que uma pessoa precisa saber para tirar uma ideia do papel e não teve oportunidade.

A noite foi de muitas perguntas. Aliás, perguntas e respostas. A intenção foi dar voz a questionamentos de quem quer ser empreendedor, seja daqueles que têm uma ideia que nem está no papel, seja de quem já está com um negócio. Comandada pelo empreendedor e agente de aceleração Artur Jeber, a palestra, pautada por questionamentos, levou os participantes a reflexões. Em seguida, um bate papo com os empreendedores acelerados pelo SEED, Roberto Mendes e Filipe Farias, CEOs das startups Horta Mágica e Gamelyst, respectivamente.

Ninguém melhor que quem vive a prática para esclarecer as dúvidas. Os três empreendedores, além de contar suas experiências, trocaram ideias e deram sugestões sobre os temas levantados. Qual o momento para pivotar? Como ser crítico diante do seu projeto que você acha ser o melhor mundo?

Os CEOs Filipe Farias (Gamelyst), Roberto Mendes (Horta Mágica), a participante Luiza Rodrigues e o agente de aceleração do SEED, Artur Jeber conversam com o público

A relações públicas, Luiza Rodrigues, que atualmente comanda a comunicação de uma startup, além de gostar dos eventos do SEED, que, segundo ela, fomenta uma cultura empreendedora que todos deveriam seguir, veio para absorver todas as dicas repassadas. “Hoje, com o atual posto que tenho, é importante participar destes eventos. Já estive em outros encontros, mas hoje venho com um novo olhar. Esta ideia de debate é ótima, uma vez que a minha dúvida pode ser a mesma que de outro participante. É uma troca de informação mesmo, importantíssimo para quem quer abrir uma empresa ou uma startup, além de fomentar este interesse em ter algo próprio”.

Ficou interessado no que acontece no SEED Experience? Fique ligado em nossas redes, onde informaremos os outros próximos cinco encontros.

SEED, Rede Mineira de Tecnologia Assistiva e Prefeitura de BH promovem debate para inclusão da pessoa com deficiência

SEED, Rede Mineira de Tecnologia Assistiva e Prefeitura de BH promovem debate para inclusão da pessoa com deficiência

Cerca de 30% da população de Belo Horizonte possui alguma deficiência, segundo levantamento do IBGE (2010). Em Minas Gerais, este público chega a 4.727 milhões. Apesar de ser um número expressivo, essa parcela enfrenta, diariamente, inúmeros obstáculos para viver dignamente. Mas o que acontece no nosso meio para facilitar a vida dessas pessoas? Diante deste questionamento, a Rede Mineira de Tecnologia Assistiva, em parceria com o SEED e a Prefeitura de Belo Horizonte, promove, nesta terça-feira (26), o Encontro Mineiro de Tecnologia Assistiva na capital mineira.

A iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado de Minas Gerais busca disseminar o conhecimento de tecnologia assistiva e a inclusão de pessoas com deficiência. De acordo com a coordenadora da Rede Mineira de Tecnologia Assistiva, Kátia Ferraz, este tipo de encontro é um meio de unir esforços para ações concretas e objetivas para diminuir a aflição desta sociedade.

“A Rede Mineira de Tecnologia Assistiva trabalha na realização de encontros e fóruns de inovação em Tecnologia Assistiva, assim como estimula a disseminação do conhecimento, apoiando o surgimento de startups aceleradas pelo nosso mais importante parceiro, que é o SEED”, explica Kátia, garantindo a importância de espaços para provocar o debate sobre o tema.

Kátia Ferraz, coordenadora da Rede Mineira de Tecnologia Assistiva

Uma das startups citadas foi a Geraes Tecnologia Assistiva, que busca resolver problema das pessoas com deficiência física e motora que não conseguem usar o computador, possuem dificuldade para se comunicarem ou serem incluídas na escola.

Assim como a Geraes Tecnologia Assistiva, que luta pela inclusão, o Encontro Mineiro de Tecnologia Assistiva busca potencializar os investimentos que tragam impacto social, promovam o desenvolvimento do Estado e a inclusão social das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Para que as pessoas utilizem recursos de tecnologia assistiva e se tornem cidadãos com capacidade contributiva, o evento discutiu sobre como promover a independência, qualidade de vida e inclusão social; como favorecer a comunicação, mobilidade e acesso de todos; para proporcionar maior controle de seu ambiente e potencializar habilidade de aprendizado e trabalho dessas pessoas.

SEED recebe palestra gratuita para empreendedores digitais

SEED recebe palestra gratuita para empreendedores digitais

Quer conhecer uma história inspiradora? Reserve na sua agenda essa terça-feira, 19 de setembro. O mineiro de Governador Valadares, Shirleyson Kaiser, vai ministrar a palestra “Estratégias de Vendas no Mercado de Produtos Digitais”, no SEED, em Belo Horizonte. Shirleyson vai compartilhar sua experiência ao construir uma história de sucesso no mercado de e-commerce. O empresário, que faturou seu primeiro milhão aos 17 anos, perdeu tudo, recomeçou do zero três vezes até criar a Kapsula – empresa do mercado de nutracêuticos, deve faturar mais de R$ 50 milhões este ano.

Shirleyson sempre viveu trabalhando por meio da internet, atuando em negócios online nos segmentos de e-commerce, CPA Mobile, Compras coletivas, Programas de Afiliados e outros. Em 2016 criou a Kapsula, uma empresa que cuida de todos os processos para que empreendedores digitais possam trabalhar com produtos físicos sem a necessidade de investir milhares de reais em infraestrutura, ou fazer um investimento gigantesco em pedidos iniciais. Hoje a Kapsula tem mais de 50 clientes diretos que somam mais de 1 milhão de consumidores finais que compram e recompram seus produtos.

O evento é uma parceria entre o SEED e o IEC PUC Minas. “Mais do que abordar assuntos teóricos em sala de aula, apresentando as melhores estratégias e ferramentas do mundo digital, é necessário ir além dos muros da instituição e conhecer histórias de pessoas que nos inspiram e nos deixam muito felizes em compartilhar. Que é o caso do nosso palestrante convidado”, conta Alysson Lisboa, organizador do evento e professor da pós-graduação de Marketing Estratégico – Varejo Digital: E-commerce, M-business e In-store Experience do IEC PUC Minas. A palestra é gratuita e aberta ao público.

SERVIÇO

Palestra “Estratégias de Vendas no Mercado de Produtos Digitais”
Dia: 19 de setembro
Hora: 19h
Local: SEED – Espaço 104 (Praça Rui Barbosa, 104 – Centro / Belo Horizonte/MG)

Primeiro SEED Experience Night lota Café 104

Primeiro SEED Experience Night lota Café 104

Cerca de 150 pessoas participaram da primeira edição do SEED Experience Night, que aconteceu na noite dessa quarta-feira (13), no Café do 104. A iniciativa de atrair a comunidade belo-horizontina para um dos maiores programas públicos de Aceleração de Startups da América Latina e apresentar o mundo do empreendedorismo proporcionou uma noite de muito aprendizado.

Durante duas horas, os participantes tiveram a oportunidade de saber mais sobre startups com dicas de como começar a empreender. A palestra rendeu um game, que ofereceu ao vencedor o direito de participar do Day Out do SEED – um dia de imersão em empresas do nosso ecossistema para troca de experiências.

Em sequência, o cofundador da SmarttBot – plataforma para traders operarem na bolsa de forma automatizada -, Leonardo Martinez, falou sobre empreendedorismo e usou sua startup como exemplo de case de sucesso. Com mais de 10 anos de experiência, o jovem empresário garantiu aos participantes do SEED Experience Night que, para ter sucesso, é necessário ter certeza que seu negócio atenda a real necessidade do mercado; ter foco “startup tem um milhão de oportunidades. O empreendedor tem que focar no que entende de caminho certo”; e, por fim, abraçar de corpo e alma o trabalho.

O Agente de Aceleração, Daniel Oliveira, apresenta o SEED para o público

 

SEED Experience Night

Com intuito de inspirar os empreendedores, foi criado o SEED Experience Night que abre as portas do SEED para sociedade, levando conteúdo e interação com o ecossistema de MG. Um dos objetivos é impactar o ecossistema por meio de eventos descontraídos e educativos e alcançar, uma média de 1.000 pessoas de Minas Gerais, gerando mais de dez horas de conhecimento reaplicáveis.