Simi e Seed transmitem debate ao vivo sobre empreendedorismo feminino

Simi e Seed transmitem debate ao vivo sobre empreendedorismo feminino

Não há mais espaço para sexismo no mundo. As mulheres têm lutado, por anos, para conquistar seus espaços em várias áreas e, no empreendedorismo, na ciência e na tecnologia, não poderia ser diferente.

Neste Dia Internacional da Mulher, 8 de março, quinta-feira, o SIMI e o SEED vão realizar, às 14h, um debate sobre as conquistas e barreiras do empreendedorismo feminino. O encontro será transmitido ao vivo em ambas as páginas oficiais do Facebook e terá cinco convidadas.

A Live será mediada pela coordenadora de Comunicação do SEED, Isabela Scarioli, MBA internacional com foco em inovação e empreendedorismo em economias em desenvolvimento e especializada em Gestão de Negócios.

Para debater a presença das mulheres no empreendedorismo, estarão presentes Gabriela Santana, gestora de Projetos de Empreendedorismo e Inovação na Sedectes; Mariah Júlia, empreendedora da startup Melhor PlanoIsabella Corradi, agente de aceleração do SEED; e Paola Cicarelli, empreendedora da startup Cuboz.

Além disso, o talk quer incentivar mais mulheres a se inscreverem e participarem da 5ª rodada de aceleração de startups do SEED, já que acontecerá no dia da abertura das inscrições para o programa.

Programa-se e acompanhe, afinal, lugar de mulher é onde ela quiser!

#SEEDRecebe – Em busca de propósito

#SEEDRecebe – Em busca de propósito

Estudantes do IBMEC vêm ao SEED para reflexão sobre carreira, sucesso e geração de valor

Abrir uma empresa. Esse é o senso comum do que significa empreender, de acordo com o professor de empreendedorismo e inovação do IBMEC de Belo Horizonte, João Bonomo. No intuito de colaborar para desfazer esse clichê, ampliar o olhar dos seus estudantes sobre o assunto e mostrar o efervescente ecossistema de Belo Horizonte ele traz, com frequência, seus alunos de administração, engenharia civil e economia, para uma aula no coworking do SEED. Foi o que aconteceu na noite da última segunda-feira, 05/03, quando quase 50 estudantes participaram da aula de empreendedorismo e propósito, ministrada por Daniel Oliveira, coordenador geral do SEED.

“Conheço o SEED desde os seus primórdios e é um programa que me dá orgulho de ser mineiro. Você vê que podem haver outros programas de aceleração, mas nenhum governo estadual consegue ter essa atuação que o SEED tem. Ele tem uma característica que eu gosto muito que é a reinvenção. Já vi o programa se reinventar diversas vezes, a cada edição ele evolui, se mostra diferente, se adapta. Isso é um sinal de compromisso e competitividade”, diz Bonomo.

Além de apresentar o SEED, o programa de aceleração que já está na 5ª rodada e a difusão de conhecimento feita no interior de Minas Gerais, Daniel mostrou os resultados alcançados desde 2013, data de início das atividades e os impactos de ter um programa público como o SEED. “Minas Gerais depende prioritariamente de duas indústrias: mineração e agricultura. O empreendedorismo e a inovação são caminhos para diversificar a economia do estado e trazer desenvolvimento. Inovação é diversidade”, salienta.

O conteúdo da aula mistura dados do ecossistema, conceitos teóricos e filosóficos e apresentação de tendências. O assunto principal, propósito, é tratado a partir do ponto de vista de criação de valor para o mundo, tanto do prisma pessoal como do das empresas. Daniel conta sobre os diversos pontos de vista de propósito, da busca do ser humano por um sentido, além falar das aplicações práticas das ideias. A aula mostra tendências como a reinvenção do ser humano na era digital e a mudança de paradigmas que ela traz, como o conceito de abundância e a ampliação de oportunidades, passando por sucesso e chegando a reflexões sobre aspectos como a nanotecnologia, a robótica, a inteligência artificial e as realidades intersubjetivas. O palestrante exemplifica cada ponto com vídeos, cases e experiências pessoais, além de instigar os participantes a pensarem sobre suas próprias vidas, escolhas e a compartilhar os seus pontos de vista com os colegas. “Achei muito boa a palestra, a melhor que tivemos até agora. Contribuiu para ampliar nosso repertório, nos ajudar a formular perguntas”, avalia Débora Silva, 23 anos, que cursa administração.

Débora Silva, estudante de administração. (Foto: Isabela Scarioli)

Para finalizar a noite, um exercício de compartilhamento e empatia. “Não conhecia o SEED, achei que a palestra ajudou no entendimento de conceitos chave para levar o empreendimento à frente”, é a opinião de Matheus Faria, de 21 anos, aluno de administração.

Matheus Faria, estudante de administração. (Foto: Isabela Scarioli)

Se você gostou do conteúdo, veja esse vídeo indicado na apresentação e não deixe de conferir os livros indicados para os estudantes: “O que é o futuro?”, “Vai lá e faz”, “Why We Work” e “Homo Deus”.

Empresas aceleradas pelo SEED crescem e colhem frutos da participação

Empresas aceleradas pelo SEED crescem e colhem frutos da participação

Programa do Governo do Estado para desenvolver startups impacta economia mineira com empregos gerados e negócios fechados

Considerado um dos maiores projetos públicos de aceleração de startups da América Latina, o SEED – Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development deve abrir, nas próximas semanas, as inscrições para a quinta rodada do programa. A grande novidade é que, em iniciativa inédita no país, o SEED vai treinar seus próprios agentes de aceleração, que irão auxiliar na capacitação das startups participantes na próxima rodada.

“Vamos contratar pessoal e dar um treinamento de agente de aceleração, durante seis semanas. Isso nunca foi feito antes no programa. O principal diferencial é que essas pessoas serão treinadas por nós, que já estamos no programa, e, portanto, dentro da cultura do SEED, o que afina o trabalho”, explica Bruno Scolari, que acaba de assumir a coordenação do programa junto ao colega Daniel Oliveira. “Estávamos à frente da aceleração e agora assumimos o SEED. O fato de nós dois sermos empreendedores também agrega ao trabalho, pois entendemos o que todos passam”, frisa Scolari.

Aliás, todo o processo de aceleração do SEED já vinha sofrendo mudanças: até a terceira rodada, era contratada uma aceleradora externa. “Com isso, não havia uma gestão apropriada e contínua de conhecimento de um período para o outro”, enfatiza o coordenador. Na última rodada, o processo foi feito de forma interna. “Criamos uma metodologia, com um time de aceleração próprio do SEED, e testamos. Queríamos fixar o conhecimento ali, criar uma cultura. Os resultados foram muito bons. Consideramos que foi a melhor rodada que tivemos até hoje”, diz Scolari.

Os números da quarta rodada comprovam os bons resultados. As 40 startups participantes – 101 empreendedores, de dez nacionalidades – tiveram um faturamento total de R$ 2,8 milhões, e, além disso, captaram mais de R$ 7,5 milhões em investimentos. Foram gerados, ainda, 164 empregos diretos.

“Outra novidade importante que trouxemos na quarta aceleração foi que antes o SEED era muito focado no negócio. Mas o empreendedor também tem que se desenvolver como profissional. Então trouxemos um parceiro para isso. Essa etapa foi chamada de trilha do desenvolvimento do empreendedor”, destaca Scolari. Dessa forma, enquanto os agentes de aceleração cuidavam do desenvolvimento do negócio da startup, os empreendedores treinavam e otimizavam suas habilidades socioemocionais, sendo preparados para os desafios do mercado.

No total, foram 4.400 horas de mentoria personalizada e 120 horas de conteúdo compartilhado entre os empreendedores. O programa também tem um viés de difusão por todo o estado: foram mais de 1.000 horas em 520 atividades realizadas em todos os 17 territórios regionais de desenvolvimento, impactando mais de 30 mil pessoas.

Startup mineira destaque

A Melhor Plano foi um dos destaques e está em pleno crescimento.

A Melhor Plano, uma das empresas destaque da quarta rodada de aceleração do SEED, surgiu em 2016 pensando em encontrar soluções de telefonia mais baratas para o consumidor. Pedro Israel e o sócio Felipe Byrro, ambos de Belo Horizonte, perceberam a dificuldade de se escolher um plano ideal, e a partir daí criaram o negócio. “Nosso objetivo é ajudar o usuário a encontrar a opção mais interessante para a necessidade dele. Começamos focados em planos de celular, mas hoje oferecemos o serviço também com banda larga, TV por assinatura e telefonia fixa. E pretendemos ampliar isso”, afirma Pedro Israel.

A startup, que começou com os dois amigos, hoje tem sete funcionários e está com 11 vagas abertas após a aceleração no SEED. No período, o faturamento da empresa triplicou. “Nossa expectativa é muito grande. Estamos fazendo um acordo de investimento que também só foi possível graças a esse amadurecimento em 2017”, comemora.

Negócio fechado

Na outra ponta, pensando em facilitar o dia a dia do empresário, surgiu a Saipos, um sistema para restaurantes que ajuda na gestão do negócio. “Todo online e na nuvem, nosso sistema dá mais tempo para o empresário pensar no negócio dele e não se preocupar tanto com as partes burocráticas”, resume o CEO da Saipos, Anderson Onzi.

A Saipos veio do Rio Grande do Sul para aceleração no SEED.

“Para a Saipos, o SEED foi um divisor de águas. Estávamos em um ritmo completamente diferente antes da aceleração. Fechamos negócio com um fundo de investimento, o Gávea Angels, durante a rodada”, conta.

A startup, que completou um ano de existência em janeiro, tem dez funcionários e espera fechar 2018 com o dobro. “Um exemplo da importância do trabalho feito pelo SEED: tivemos uma mentoria para aprender a fazer pitch (termo que denomina uma breve apresentação feita pela empresa para despertar o interesse do cliente ou investidor pelo negócio). O nosso pitch estava horrível, conseguiram nos ajudar e fechamos o negócio com o Gávea Angels graças a isso”, comemora Onzi.

O SEED

Coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SEDECTES), o SEED é parte do Minas Digital, uma série de iniciativas governamentais, parcerias e rede de networking que buscam impulsionar o desenvolvimento de negócios inovadores e fortalecer a cultura empreendedora no Estado. O SEED tem como objetivo incentivar o empreendedorismo e transformar Minas Gerais em um polo tecnológico, por meio de ideias inovadoras. No total, o SEED já acelerou 152 startups, sendo 36 estrangeiras, e recebeu 5.408 inscrições.

Considerado pela Bloomberg Foundation um dos grandes projetos de inovação do setor público no mundo, o programa tem como diferencial a não exigência de CNPJ ou participação do Governo no negócio criado pelas startups. O programa tem alcance internacional e busca atrair empresas de todo o mundo para o ambiente do estado, estabelecendo um ecossistema de integração, troca de experiências e geração de resultados.

Veja mais sobre a quarta rodada neste vídeo produzido pelo Sistema Mineiro de Inovação (SIMI):

Startup de gerenciamento de resíduos é a nova parceira do Sinduscon-MG   

Startup de gerenciamento de resíduos é a nova parceira do Sinduscon-MG   

Com o objetivo de otimizar o gerenciamento de resíduos do setor da construção civil, o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG) e a empresa NETResíduos firmaram parceria em janeiro deste ano. O NETResíduos passa a ser considerado o sistema oficial de gerenciamento de resíduos do Sinduscon-MG, permitindo assim, às empresas associadas e parceiras do Sindicato terem acesso ao sistema, além de cursos a distância sobre o tema, em condições comerciais diferenciadas.

A startup, que foi acelerada pelo SEED durante a 4ª rodada, permite, de forma fácil e intuitiva, o total controle de dados e documentos relacionados aos resíduos gerados nas obras, possibilitando assim, a redução de custos, riscos e melhoria da produção. Por meio da parceria serão atendidas tanto as construtoras que já gerenciam os resíduos de suas obras, quanto aquelas que ainda não gerenciam, o que gerará benefícios e contribuirá para a melhoria de todo o setor.

Interessados em utilizar a plataforma poderão solicitar uma demonstração aqui informando ser um associado ou parceiro do Sinduscon-MG.

Plataforma de gestão de eventos científicos recebe investimento de R$500 mil

Plataforma de gestão de eventos científicos recebe investimento de R$500 mil

A startup Even3 recebeu um aporte de R$500 mil em seed-money. A plataforma é voltada para acadêmicos, cientistas e especialistas, oferecendo soluções para a organização de eventos, como congressos, simpósios e seminários. A startups também permite automatizar o processo de publicações científicas destes eventos. Com dois anos de existência, a Even3 já possui mais de 500 mil usuários, através de aproximadamente 2400 eventos realizados e mais de 60 mil artigos científicos registrados.

A startup foi acelerada pela 3ª rodada do SEED, em 2016, permitindo o aumento do número de colaboradores da equipe e alçando a empresa a novos patamares para acessar parceiros e investidores institucionais. Durante o programa a Even3 participou do Demo Day, dentro da Finit, como uma das 8 startups selecionadas pelo programa. Ao final do processo de aceleração, a startup foi um dos destaques, recebendo como premiação a ida ao evento SXSW (South by Southwest) em 2017.

A participação no SXSW permitiu pela primeira vez que a startup pudesse ter uma visão de mercado global, através da conversa com investidores e parceiros estrangeiros. Tudo isto permitiu que fosse realizado um plano de expansão e investimento estruturado o que culminou em bastante crescimento e nesta nova fase de captação.

“O ingresso do novo investimento foi realizado por um investidor serial, e isto é bastante significativo por considerarmos que além de mostrar que estamos no caminho certo, é um smart-money. A Even3 buscou, além do capital em si, reforçar sua estrutura societária, assim foi muito sinérgico a vinda de um investidor que irá contribuir para o negócio como um todo”, diz Leandro Reinaux, um dos fundadores da empresa.

Com o investimento será possível alçar voos mais altos para 2018, com vários desafios, desde a previsão de dobrar a equipe quanto ao processo de internacionalização. A meta é triplicar o faturamento e se estabelecer como principal player no mercado de eventos acadêmico e científico, e serviços de publicação.

Confira aqui outras notícias sobre as startups aceleradas pelo SEED.

MedLogic apresenta software voltado para o atendimento de idosos

MedLogic apresenta software voltado para o atendimento de idosos

Fonte: Diário do Comércio – Thaíne Belissa

A startup mineira MedLogic está entre as idealizadoras de um projeto inovador que pretende trazer mais qualidade para a saúde dos idosos no Brasil. Junto com empresas britânicas de tecnologia, com o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CpqD), em Campinas, a startup desenvolverá o projeto CityZen, que consiste na criação de um aplicativo que conecta o idoso ao sistema de saúde pública. O projeto vai receber mais de R$ 3 milhões de investimento e a expectativa é de que a ferramenta esteja pronta em 18 meses.

O projeto foi aprovado em um Edital de Cooperação entre os governos brasileiro e britânico. As instituições que estão financiando a iniciativa são a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Newton Fund e a InovateUK. Ao todo, o edital oferece R$ 3,5 milhões de financiamento ao projeto.

A MedLogic é uma spin-off da Indústria-i Empreendimentos Digitais e foi uma das startups aceleradas pelo programa do Estado Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development (Seed). A empresa desenvolveu um software que auxilia os profissionais da saúde a fazer uma avaliação multidimensional da saúde do paciente. E é a partir dessa solução que pretende criar um projeto inovador para melhorar o tratamento de saúde oferecido aos idosos no País.

O fundador da Indústria-i Empreendimentos Digitais, Daniel Melo, explica que o piloto será realizado em Campinas e em São Paulo. Segundo ele, Minas Gerais também foi consultada, mas as negociações com a Secretaria de Estado de Saúde não foram produtivas e o Estado acabou sendo descartado nessa fase do projeto. O empreendedor explica que o principal objetivo do projeto é tornar a população idosa mais conhecida para o sistema de saúde, seja público ou privado, de forma que as necessidades reais dessa população sejam atendidas e acompanhadas.

Para isso, o projeto, que tem início no próximo mês, fará uma estratificação da população idosa das cidades-pilotos.  “Um dos grandes problemas da saúde pública é que ela trata todos os pacientes da mesma maneira, direcionando-os a uma consulta simples de 15 minutos. Para um idoso com 60 anos de histórico médico isso não é adequado. Segundo Melo, o projeto do CityZen vai na contramão dessa realidade, propondo a elaboração de um planejamento de saúde específico para cada idoso.

“Essa ferramenta vai servir de base para o sistema de saúde que atender esse idoso, oferecendo informações sob medida e melhorando os diagnósticos. Além disso, a partir dessa solução, a cidade poderá entender melhor o perfil de seus idosos e, assim, elaborar políticas públicas mais adequadas para essa população”, destaca.

Outro ponto importante do projeto é que ele permite o acompanhamento do idoso via aplicativo. Melo afirma que o dispositivo está sendo desenvolvido de forma que seja acessível à população idosa. O paciente será capaz de acionar o sistema de saúde por comando de voz. “Outro problema do atual sistema de saúde é que o idoso vai ao médico e depois some. Então, não é possível saber se ele permaneceu no tratamento. Com esse aplicativo é possível comunicar com o idoso e, automaticamente, monitorá-lo”, explica.

O empreendedor lembra que soluções como essa que auxiliam os idosos são, cada vez mais, necessárias em um País em que a expectativa de vida só aumenta e o número de filhos nas famílias diminui. “Essa solução vai ajudar a resolver o problema de insuficiência familiar. A média de filhos por família no Brasil é de 1,7 e esses filhos não estão conseguindo cuidar de seus pais sozinhos. A última pesquisa do Pnad surpreendeu até o governo: o País tem mais de um milhão de novos idosos por ano”, diz.

Melo afirma que, além dos R$ 3,5 milhões de investimento via edital, a MedLogic fará investimentos próprios no projeto. Focando esse grande desafio em 2018, a startup deve abrir, em breve, mais uma rodada de captação de investimento. Segundo ele, a expectativa é de que, em 12 meses, sejam realizados os primeiros testes com a solução. Ele acredita que ela estará disponível no mercado em até 18 meses.

SEED recebe a segunda turma do WY Experience

SEED recebe a segunda turma do WY Experience

Dez jovens de diferentes lugares do Brasil passaram o dia no SEED para entender mais sobre empreendedorismo, startups e cultura da inovação. Realizado pela organização sem fins lucrativos, Wylinka, em conjunto com a Sedectes e apoio do SEED, a segunda edição do WY Experience tem o objetivo de movimentar o ecossistema, capacitando universitários para desenvolver competências e trabalhar na transformação de pesquisa em tecnologia.

No SEED, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer mais sobre o funcionamento de um dos maiores programas de aceleração de startups da América Latina. Durante o WY Experience, eles ficarão dois meses imersos em ambientes de inovação e tecnologia com o objetivo de criarem conexões e desenvolverem projetos inovadores.

De acordo com a agente de inovação da Wylinka, Amélia Machado, ao final do programa devem ser apresentados dois projetos, um individual, que impacte o ecossistema local de cada um e um coletivo, visando o ecossistema de Belo Horizonte. “A ideia do WY Experience surgiu em 2016, onde tivemos nossa primeira turma com seis participantes. Dessa vez, selecionamos mais jovens com perfis e áreas de estudo diversas para que, juntos, possam complementar o programa com visões diferentes. Para esta edição também inserimos o projeto para BH”, afirma.

O primeiro módulo – autoconhecimento – começou hoje (10) e trabalhou a inteligência emocional, liderança, metodologias de autoconhecimento e mindfulness. A jornada empreendedora de capacitação e aprendizado ainda terá mais quatro módulos – empreendedorismo, ecossistemas, inovação e tecnologia e impacto social. Outras atividades também acontecerão no SEED nesse período.

Quer saber mais sobre os participantes? Então confira a matéria do Simi – Sistema Mineiro de Inovação.

Censo Mineiro de Startups apresenta diagnóstico do setor em Minas Gerais

Censo Mineiro de Startups apresenta diagnóstico do setor em Minas Gerais

A partir do estudo, o Estado poderá desenvolver políticas públicas mais assertivas que viabilizem a criação, consolidação e competitividade das empresas de tecnologia e inovação

Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) e seu programa Hub Minas Digital, realizou, concluiu, no fim do ano, o Censo Mineiro de Startups e de demais Empresas de Base Tecnológica (EBT). A iniciativa contou com o apoio da Universidade Federal de Viçosa (UFV) e da Rede Mineira de Inovação (RMI).

O levantamento revela dados significativos que indicam o fortalecimento e a expansão do setor de tecnologia e inovação em Minas Gerais. De acordo com o estudo, o número de startups em Minas Gerais cresceu 320% desde 2015 e 556% desde 2010. Estima-se que, atualmente, existam cerca de 1.050 startups no estado. Destas, 439 responderam ao questionário virtual enviado pela Sedectes.

Para o coordenador do Hub Minas Digital, Rodolfo Zhouri, as Empresas de Base Tecnológica, dentre elas as startups, têm se tornado importantes para o desenvolvimento da inovação tecnológica no contexto pós-digital. Com o censo em mãos, Zhouri quer formular políticas públicas e ações para estimular a criação de novas startups e o desenvolvimento das que já existem, oferecendo soluções melhores para o ambiente de negócios.

“Essas informações poderão ser utilizadas por aqueles que atuam junto ao ecossistema empreendedor para a promoção da inovação tecnológica no estado e a implementação de políticas e ações que permitam a consolidação dos empreendimentos de base tecnológica, cujos negócios figuram como um valioso mecanismo de desenvolvimento social e econômico de Minas Gerais”, ressalta o coordenador do Hub Minas Digital.

Dentro outros pontos, o levantamento também aponta que a Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) concentra o maior número de startups do estado (41%), seguido do Sul de Minas (17%) e Triângulo Mineiro (16%). Destaca-se ainda que, em 2017, 55% das empresas pretendem faturar até R$ 500 mil e 2% pretendem faturar mais de R$ 5 milhões.

O questionário virtual enviado às startups foi dividido em seis seções e avaliou o espaço físico, as equipes (formação, quadro de sócios, funcionários e bolsistas), as principais dificuldades enfrentadas, a inovação tecnológica (desenvolvimento e comercialização de produtos, propriedade intelectual e captação de recursos), parcerias e indicadores financeiros.

Hub Minas Digital

O Hub Minas Digital, implantado pelo Governo de Minas Gerais por meio da Sedectes, é um espaço de codesign e coworking que visa oferecer infraestrutura moderna, ambiente para cursos, workshops, mentorias, área de convivência e conexão com o ecossistema de inovação mineiro. Localizado no Rainha da Sucata, icônico prédio da Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, O Hub Minas Digital está de portas abertas para os empreendedores e investidores de todo o estado.

O SEED está em busca de talentos para compor seu time

O SEED está em busca de talentos para compor seu time

Estamos com oportunidades para integrar nossa equipe. Se você sabe tudo sobre startups, tem engajamento e paixão por empreendedorismo, a vaga pode ser sua! Confira:

Coordenador de Comunicação e Marketing
  • Pré-requisitos:
    – Imprescindível formação superior completa
    – Habilidades comprovadas na área de comunicação
    – Inglês Intermediário/avançado
  • Atividades:
    – Responsável pela implementação de estratégias e campanhas de comunicação e marketing (eventos, assessoria de imprensa, institucional, mídia sociais e comunicação interna).
    – Analisar e Interpretar o comportamento do público alvo e sugerir formas criativas de aumentar a consciência da marca.
    – Gestão do sistemas de rastreamento para atividades de marketing digital.
    – Gerir e acompanhar o progresso e o posicionamento da marca.
  • Importante no perfil:
    – Entender do mundo de startup, comunicação digital, mídias sociais e habilidade em gestão de pessoas
Analista de Mídias sociais
  • Pré-requisitos:
    – Imprescindível formação superior completa
    – Experiência com Mídias Sociais
    – Inglês Intermediário/avançado
    – Certificado em Inbound Marketing (Rock Content ou Hubspot)
  • Atividades:
    – Criação conjunta com a coordenação de comunicação e execução de estratégias de mídia social através de pesquisa competitiva e de audiência, determinação de plataformas, benchmarking, mensagens e identificação de público, aumentando a visibilidade dos conteúdos sociais da Sedectes/SEED.
    – Gerar e compartilhar conteúdos diariamente.
    – Configurar e otimizar páginas do programa dentro de cada plataforma de mídia social considerando as diretrizes da coordenação da comunicação consequentemente as diretrizes da ACS.
    – Atrair e interagir com comunidades virtuais e utilizadores de redes, monitorando os conteúdo gerados pelos públicos.
    – Ampliar o engajamento e dos públicos de forma estratégica.
    – Participar de conversas relevantes em nome da marca e atuar como evangelizador do SEED, fornecendo suporte aos acelerados, allumni e demais públicos do programa.
    – Gerar, editar, publicar e compartilhar conteúdo diário (texto original, imagens, vídeo ou HTML) para criar conexões significativas e incentivar os membros da comunidade a tomarem medidas que promovam ações da Sedectes.
    – Criar calendários editoriais e agendas de distribuição da comunicação nos meios digitais.
    – Melhorar continuamente através da análise de dados e métricas sociais apropriados, insights e melhores práticas do mercado.
    – Colaborar com outros setores para gerenciar a reputação do programa, identificando atores-chave e coordenando ações de promoção.
  • Importante no perfil:
    – Entender do mundo de startup, comunicação digital e mídias sociais
Conhece alguém com a cara do SEED ou se interessou? Envie seu currículo para contato@seed.mg.gov.br colocando o nome da vaga no assunto do e-mail.